Para que educação ambiental?




"Entendem-se por educação ambiental os processos por meio dos quais o indivíduo e a coletividade constroem valores sociais, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências voltadas para a conservação do meio ambiente, bem de uso comum do povo, essencial à sadia qualidade de vida e sua sustentabilidade." 
Política Nacional de Educação Ambiental - Lei nº 9795/1999, Art 1º.
A educação não é o único, mas certamente é um dos meios de atuação mais eficientes para a sociedade. A criança instruída está propícia a ter consciência das condições materiais de existência. Ela pode exercitar a capacidade de decidir de modo organizado os melhores caminhos para a sustentabilidade da vida.
O desconhecimento e distanciamento da criança e de seu ambiente natural impedem-na de perceber que cada atitude corresponde a um impacto negativo ou positivo sobre o ambiente, seja ele natural ou construído. Não se sentindo como parte integrante do ambiente, a criança tende a não perceber os efeitos de suas atitudes, ou se percebe, não os avalia.

É nesse contexto que se insere a Educação Ambiental, importante ferramenta para ajudar no debate ecológico e no aumento do número de pessoas envolvidas na prática da conservação e conscientização ambiental e do resgate dos valores humanos. Assim, ela pode ser considerada um processo permanente no qual os nossos pequenos tomam consciência do seu meio ambiente e adquirem conhecimentos, habilidades, experiências, valores e a determinação que os tornam capazes de agir, individual ou coletivamente na busca de soluções para os problemas ambientais presentes e futuros.



“A Educação Ambiental é uma dimensão da educação, é atividade intencional da prática social, que deve imprimir ao desenvolvimento individual um caráter social em sua relação com a natureza e com os outros seres humanos, visando potencializar essa atividade humana com a finalidade de torná-la plena de prática social e de ética ambiental.”
Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental, Art. 2°.

A educação ambiental se tornou uma das prioridades na educação formal e também em outros segmentos. O que se percebe é que, muito em breve, as pessoas que não se preocuparem com a otimização do uso dos recursos naturais e com a devida aplicação de atitudes sustentáveis (que envolvem o meio ambiente e saúde humana) em seu cotidiano, poderão arcar com prejuízos imediatos ligados à sua qualidade de vida.
Não obstante, a educação ambiental necessita ir além do óbvio do que é discutido atualmente, quase sempre de forma superficial tanto nas escolas quanto nas mídias em geral. Um bom projeto sustentável deve incentivar, desde cedo, alterações progressivas no estilo de vida. A criança precisa se sentir parte do meio ambiente e também uma protagonista de mudanças, além de perceber valor agregado na redução do consumo, conservação ambiental e proteção da biodiversidade o mais cedo possível. E isso só é possível a partir de um bom plano de Educação Ambiental adotado pelas escolas e outras instituições sociais como a própria família, igreja, comunidade, etc.


“A educação ambiental é um processo de reconhecimento de valores e clarificações de conceitos, objetivando o desenvolvimento das habilidades e modificando as atitudes em relação ao meio, para entender e apreciar as inter-relações entre os seres humanos, suas culturas e seus meios biofísicos. A educação ambiental também está relacionada com a prática das tomadas de decisões e a ética que conduzem para a melhora da qualidade de vida”
Conferência Intergovernamental de Tbilisi (1977)


"Processo em que se busca despertar a preocupação individual e coletiva para a questão ambiental, garantindo o acesso à informação em linguagem adequada, contribuindo para o desenvolvimento de uma consciência crítica e estimulando o enfrentamento das questões ambientais e sociais. Desenvolve-se num contexto de complexidade, procurando trabalhar não apenas a mudança cultural, mas também a transformação social, assumindo a crise ambiental como uma questão ética e política."
MOUSINHO, P. Glossário. In: Trigueiro, A. (Coord.) Meio ambiente no século 21.Rio de Janeiro: Sextante. 2003.


Esses valores que queremos passar para as crianças, adolescentes e jovens, com foco na educação ambiental para a sustentabilidade, devem ser construídos pela e para a sociedade contemporânea e exigem a formulação de uma nova visão de mundo com a construção de novas formas de desenvolvimento e até mesmo de novas teorias sobre as relações ambientais de produção e reprodução social, etapas que somente podem ser alcançadas a partir da educação e da prática diária dos saberes socioambientais.


Camila Malacarne 
Publicitária, consultora ambiental para a educação e ações de sustentabilidade


Comentários

Postagens mais visitadas